terça-feira, 27 de agosto de 2013

O Guarda-Roupa - Capítulo 7 - O presente de Paulo

Vilma já estava até esquecendo o caso, mas nem imaginava que seu ex-amante ficou abalado com o telefonema dela. Ao ouvir a voz de Vilma, sua paixão por ela retornou, estava guardada em um canto de seu coração.

Entusiasmado, Paulo comprou até um guarda-roupa de presente para Vilma, mas pensou:
“Ela desligou o telefone na minha cara, com certeza me odeia. Não! ódio é uma coisa muito forte, depois de passarmos cinco anos de encontros, talvez ela não saiba muito bem o que sente...talvez ainda me ame.”

No tempo em que eles se encontravam Paulo era um vendedor de sapatos, divorciado, sozinho, morava em um pequeno apartamento com uma cama de solteiro, kitchenette, recebia visitas às vezes, ficavam mais de uma hora “conversando” e os vizinhos, escutavam atentamente as “conversas”, foi por causa desse bate-papo todo que ele quase foi despejado. Mas, por sorte continua morando no mesmo lugar.

Alguns dias depois do aniversário de Vilma, Paulo decidiu telefonar, havia pegado o número dela no identificador de chamadas. Surpreendeu sua ex-amante:
- Alô!? - disse Vilma.
- Oi Vilminha, tudo bem ? Você nem falou comigo direito outro dia.
Vilma estava confusa quanto as intenções de Paulo, responde:
- Paulo seu canalha! Eu queria a sua ajuda e você só pensa “naquilo”. Sou uma mulher correta, paguei os meus pecados! Mas, você vai acabar no inferno!
Paulo assustado com a reação de Vilma, diz:
- Não é nada disso querida, lembrei do seu aniversário e até comprei um presente. Não quero nada em troca, só espero que aceite.

Do outro lado da linha, Vilma percebeu que Paulo estava sendo sincero, afinal, cinco anos de caso fazem você conhecer o seu parceiro, ou não ?
Vilma responde:
- O que será isso que você comprou para mim?
- É um guarda-roupa, está desmontado, mas eu chamo alguém para montá-lo na sua casa. Você vai aceitar o presente?
- Um guarda-roupa? Como é esse guarda-roupa?
Vilma o pegou de surpresa, ele pensou:
“Para que tanta pergunta sobre um guarda-roupa? Deve ser coisa de mulher.”
Finalmente ele responde:
- Ele tem duas portas sanfonadas e é bege, tem os puxadores cromados, coisa fina!
Agora foi a vez de Vilma pensar:
“Um guarda-roupa assim eu só vi na casa da Dora.Que coincidência”.
Curiosa,  Vilma pergunta:
- Aonde você comprou esse guarda-roupa? Mandou fazer?
Paulo, já cansado de tantas perguntas, responde:
- Comprei de um amigo. Disse que o negócio estava estorvando na garagem dele. Mora lá para os lados da zona norte.
Surpresa. Vilma não acreditou no que acabara de escutar. “Zona Norte. Garagem. Estorvando. Será que ele está falando do Mário? Será que ele vendeu o guarda-roupa?” pensou.
Vilma pergunta:
- O nome do seu amigo é Mário, marido de uma tal de Dora?
Paulo responde:
- Sim é o Mário.
As últimas palavras de Vilma no telefone foram:
- E eu ainda acreditei em você! - Sem dizer mais nada, ela desligou o telefone na cara de Paulo.

Desconcertado ele aceitou que nunca mais poderia seduzi-la, não ligou mais. Ela se tornou uma mulher muito difícil, além de ser muito religiosa agora, disse até que ele iria para o inferno, ele sabia que já tinha até a passagem comprada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...