quarta-feira, 22 de maio de 2013

Relógios

São os senhores do tempo, mas ainda não conquistaram o universo. No universo o tempo é diferente daqui, está anos luz a nossa frente como se fosse um futuro constante, enquanto a gente aqui na Terra vive praticamente no passado.

O tempo é mais leve que o ar, mais rápido que o vento e mesmo assim o homem tenta controla-lo. Munido de ponteiros, números, cordas, baterias, LEDs, LCDs, análogicos, digitais, ele inventou o relógio.

Relógios... Alguns são mais otimistas, sempre atrasados para não assustar quem acorda em cima da hora. Tem os relógios realistas que mostram as horas como elas são, o tempo como ele é, sem frescura e firula. Mas, os relógios pessimistas são os mais temidos. Você olha e diz: tudo bem! Levanta, toma banho, café da manhã sossegado, pega a lotação até o metrô e aí vê o relógio da estação e descobre que está ferrado e não há nada a fazer senão enfrentar a cara feia do seu chefe, na verdade pode até ser um reflexo da sua consciência.

Todos têm uma noção interna de tempo e muitas pessoas nem usam relógio. Às vezes, o condicionamento basta. É uma forma de liberdade não usar relógio, pois muitas vezes ele exerce controle sobre aquele que usa, pode cerca-lo pelas pressões dos compromissos, o inimigo do tempo na era moderna, stress.

Com ou sem ele, a vida continua, em ritmos diferentes para cada um, pois o tempo está em suas mãos, ou melhor, muitas vezes no seu pulso. O tempo e como usá-lo é uma escolha, assim como tudo na vida.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...